08/10/2018

Resenha: Objetos Cortantes


Título: Objetos Cortantes
Autor(a): Gillian Flynn
Editora: Intrínseca
Páginas: 256

Com reviravoltas surpreendentes, Sharp Objects: Objetos Cortantes narra o retorno da repórter Camille Preaker, recém-saída de um hospital psiquiátrico, à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã que praticamente não conhece. Hospedada na casa da família, a jornalista precisa lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência. E à medida que as investigações para elaborar sua matéria avançam, Camille passa a desvendar segredos perturbadores, tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta.

Assisti recentemente a série baseada no primeiro livro de Gillian Flynn, que alguns anos atrás me deixou totalmente boquiaberta com Garota Exemplar. Após a conclusão da série e sabendo a diferença no final da trama da HBO e do livro resolvi pega-lo para ler e ver se eu iria gostar, já que infelizmente a série não me prendeu tanto quanto eu imaginava. Apesar do final ser diferente o restante da série é muito fiél ao livro. E pela primeira vez eu achei que isso foi um problema. O foco no post não é a série, então vou ficar na minha experiencia com essa leitura mesmo sabendo dos acontecimentos.

24/09/2018

Resenha: Um Pequeno Favor


Título: Um Pequeno Favor
Autor(a): Darcey Bell
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 336

Livro apontado como sucessor de Garota Exemplar e A Garota No Trem, “Um Pequeno Favor” inclui traições e reviravoltas, uma pessoa morta e a questão recorrente: quem está enganando quem?

Quando sua melhor amiga, Emily, pede a Stephanie para buscar seu filho Nicky na escola, ela alegremente concorda. Nicky e seu filho, Miles são melhores amigos — exatamente como ela e Emily. Mas Emily não volta. Ela não atende ao telefone ou responde às mensagens. Stephanie sabe que algo está terrivelmente errado. Aterrorizada, ela busca ajuda nos leitores do seu blog. Até que ela e Sean, marido de Emily, recebem notícias chocantes: Emily está morta. O pesadelo de seu desaparecimento finalmente chegou ao fim. Ou será que não?

É extramente arriscado ler um livro que já chega com uns dizeres o comparando com Garota Exemplar e A Garota no Trem. Nunca resenhei Garota Exemplar, mas já falei sobre A Garota no Trem por aqui e minha insatisfação foi enorme com essa leitura. Mas acabei correndo o risco com a leitura de Um Pequeno Favor pois gosto do mistério que o livro promete.

E sim, da para ter uma leve comparação com esses dois best sellers citados anteriormente, mas no geral a trama é mais leve e até mesmo moderna. Aqui temos duas amigas. Uma tem um trabalho de relações publicas em uma empresa de moda e a outra é uma dona de casa que tem um blog voltado para mães, que ela considera um grande trabalho. São duas mulheres diferentes e com vidas diferentes mas com seus filhos em comuns (os dois são amigos da escola). Até que uma delas desaparece e acaba virando a vida da outra de cabeça para baixo. A trama começa logo ai e Stephanie (a blogueira) se prontifica a ajudar a familia de Emily após seu desaparecimento, além de falar muito sobre o caso em seu blog. Inclusive eu acho que o livro tem muito mais um "q" de Garota Exemplar e Gossip Girl do que A Garota no Trem. Afinal ao longo do livro existem trechos de fofoca e stalking.

19/09/2018

Resenha: Ensaio Sobre a Cegueira


Título: Ensaio Sobre a Cegueira
Autor(a): José Saramago
Editora: Cia das Letras
Páginas: 312
Uma terrível "treva branca" vai deixando cegos, um a um, os habitantes de uma cidade. Com essa fantasia aterradora, Saramago nos obriga fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu.

Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma "treva branca" que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas.

O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar "a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam". José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: "uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos".

*respira*

Como fazer esse texto? Eu não quero chamar de resenha. Vou opinar, claro, sobre o livro, mas acho que resenha é uma palavra muito forte para o que eu vou falar desse livro... Como se eu não tivesse esse direito, ou sei lá o que. Porque tipo, quem leu deve saber como eu me sinto ou se não sabe é porque não tem sentimentos, ou sei lá o que. rs

Bom, o plot inicial da obra é sobre um cegueira branca que vai tomando proporções enormes ao longo do livro. Começa com um único homem e vai passando de pessoa para pessoa, como se fosse uma doença mesmo. E nessa loucura toda uma única mulher continua vendo (e ela é descrita como a mulher do médico). Existem muitas interpretações que podem ser feitas desse livro e eu falo isso pois acabei vendo umas resenhas e vídeos sobre ele depois (também sobre o filme). Mas vou me reservar a minha, que pode ou não fazer sentido. rs Porque eu não vou ficar falando sobre a história em si por aqui e sim sobre isso mesmo interpretações.

11/09/2018

Resenha: Restaura-Me


Título: Restaura-Me
Autor(a): Tahereh Mafi
Tradução: Mauricio Tamboni
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 400
Livro cedido em parceria com a editora
A história de Juliette e Warner continua no eletrizante novo volume da série Estilhaça-me, de Tahereh Mafi, autora best-seller do The New York Times. Juliette Ferrars acreditava ter vencido. Assumiu o controle do Setor 45, foi nomeada nova Comandante Suprema da América do Norte e agora conta com Warner ao seu lado. No entanto, quando a tragédia se instala, Juliette precisa confrontar a escuridão que existe tanto à sua volta quanto em seu interior.


Desde o inicio deste blog (que não chamava Estilhaçando Livros por um acaso) eu sempre deixei claro que sou mega fã da Tahereh Mafi e da trilogia Estilhaça-Me, então claro que quando ela anunciou um novo volume da saga eu fiquei surpresa (pois fui uma das poucas que tinha ficado feliz com o final) e, claro, fiquei com bastante medo. Logo na primeira chance que surgiu em parceria com a Universo dos Livros de ler esse novo volume eu já fui aproveitando e ainda não sei explicar como me sinto exatamente com esse livro.

29/08/2018

Tag da discórdia


Além de fazer um tempo que eu não postava de forma empolgada nesse bloguinha também faz um tempo que não posto uma TAG. E ai vi no twitter a Ana Clara do Roendo Livros compartilhando o post dela e fiquei empolgada com esse tema e resolvi fazer também. :3

27/08/2018

Resenha: Caraval


Título: Caraval
Autor(a): Stephanie Garber
Editora: Novo Conceito
Páginas: 400

Scarlett nunca saiu da pequena ilha onde ela e sua irmã, Donatella, vivem com seu cruel e poderoso pai, o Governador Dragna. Desde criança, Scarlett sonha em conhecer o Mestre Lenda do Caraval, e por isso chegou a escrever cartas a ele, mas nunca obtivera resposta. Agora, já crescida e temerosa do pai, ela está de casamento marcado com um misterioso conde, e certamente não terá mais a chance de encontrar Lenda e sua trupe, mas isso não a impede de escrever uma carta de despedida a ele.

Dessa vez o convite para participar do Caraval finalmente chega à Scarlett. No entanto, aceitá-los está fora de cogitação, Scarlett não pretende desobedecer ao pai. Sendo assim, Donattela, com a ajuda de um misterioso marinheiro, sequestra e leva Scarlett para o espetáculo. Mas, assim que chegam, Donattela desaparece, e Scarlett precisa encontrá-la o mais rápido possível.
O Caraval é um jogo elaborado, que precisa de toda a astúcia dos participantes. Será que Scarlett saberá jogar? Ela tem apenas cinco dias para encontrar sua irmã e vencer esta jornada.

Caraval foi um dos últimos livros que a Novo Conceito lançou no Brasil e na época de seu lançamento houve grande comoção por parte da equipe de marketing da editora para mostrar esse livro nas redes socias. A capa é maravilhosa e acredito que a parte física dele seja tão bacana quanto (eu li no Kindle, então não posso falar com certeza) mas é uma pena que a obra não seja tão legal quanto parece.

24/08/2018

Resenha: 172 Horas na Lua




Título: 172 Horas na Lua
Autor: Johan Harstad
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez. Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 - um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano. Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviando mais ninguém à Lua. Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer...
Prepara-se para a contagem regressiva.


Três jovens tem a grande oportunidade de suas vidas de irem para a lua em 2018. Seria perfeito se, como de praxe, o Governo e a NASA não escondessem coisas da população e dos próprios jovens; Desde o inicio do livro o leitor sabe algo muito errado aconteceu em outras viagens do homem à lua e por isso não deve esperar que agora as coisas funcionem as mil maravilhas (infelizmente). Os três jovens foram escolhidos através de um sorteio feito a nível mundial; Até então nenhum deles se conheciam ou se quer imaginavam que um estariam indo para a lua. Quem imaginaria, né? Mas desde que eles foram escolhidos coisas estranhas começaram a acontecer com eles entretanto nada que pudesse deixa-los preocupados de verdade.