11/09/2018

Resenha: Restaura-Me


Título: Restaura-Me
Autor(a): Tahereh Mafi
Tradução: Mauricio Tamboni
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 400
Livro cedido em parceria com a editora
A história de Juliette e Warner continua no eletrizante novo volume da série Estilhaça-me, de Tahereh Mafi, autora best-seller do The New York Times. Juliette Ferrars acreditava ter vencido. Assumiu o controle do Setor 45, foi nomeada nova Comandante Suprema da América do Norte e agora conta com Warner ao seu lado. No entanto, quando a tragédia se instala, Juliette precisa confrontar a escuridão que existe tanto à sua volta quanto em seu interior.


Desde o inicio deste blog (que não chamava Estilhaçando Livros por um acaso) eu sempre deixei claro que sou mega fã da Tahereh Mafi e da trilogia Estilhaça-Me, então claro que quando ela anunciou um novo volume da saga eu fiquei surpresa (pois fui uma das poucas que tinha ficado feliz com o final) e, claro, fiquei com bastante medo. Logo na primeira chance que surgiu em parceria com a Universo dos Livros de ler esse novo volume eu já fui aproveitando e ainda não sei explicar como me sinto exatamente com esse livro.

Mesmo eu tendo gostado do final da primeira trilogia ao ler esse novo volume eu fiquei pensando que realmente ele precisava de uma continuação, pois tantas coisas vão acontecer que eu me senti burra por não ter pensado em algumas delas antes. É claro que um governo como o Restabelecimento nunca cederia a uma menina de 17 anos que mal tem noção do que está acontecendo com o mundo, principalmente depois de ter ficado trancada em um sanatório por tanto tempo. E é justamente esse o tema principal deste volume, além de algumas questões pessoais de Juliette que não é de surpreender que tenha relações com o Restabelecimento.


O livro é narrado por Juliette e Warner e que saudades eu estava dele <3. Um dos melhores personagens masculinos já feitos por essa leva de autoras de distopias e YA. Ele tem esse passado sombrio e cheio de segredos que nunca param de assombra-lo e agora com a morte do pai tudo acaba piorando. É evidente o esforço que ele faz para ser uma pessoa melhor, para ser a pessoa que Juliette merece e que irá ajudar a todos mas ele é um ser humano com muitas falhas e nem sempre ele acerta. E foram os erros dele que deram uma reviravolta na história que me deixou completamente surpresa. Quanto a Juliette tudo que eu pensava sobre ela ser uma personagem extremamente forte foi por água abaixo. Não que eu mudei de opinião, mas existem tantas coisas que ela ainda não sabe que toda essa falta de conhecimento a deixa insegura sobre o seu poder e sua liderança. Eu a amo demais e sei que a Tahereh vai fazer essa garota evoluir muito ainda.

Alguns novos personagens surgiram e ainda fica a duvida quais deles são aliados e quais são de fato inimigos e por eles serem filhos de outros Comandantes Supremos essa duvida é totalmente justificável. Uma pena foi que personagens antigos foram ofuscados e citados somente uma ou duas vezes, mas com um novo plot é de se entender o porque eles não foram usados. E para quem ama Kenji pode ficar despreocupada pois ele é papel importante para Juliette. E sim, Adam é um dos que ficaram ofuscados mas ainda acredito que ele terá um destaque nos próximos dois livros. Gosto da forma como ele foi mudando ao longo dos livros anteriores e espero que ele tenha um final melhor desta vez (principalmente se esse final envolver um bom relacionamento entre Warner e ele).
Ultimamente não tenho sido eu mesmo.
A verdade é que eu não sou eu mesmo há o que parece ser um bom tempo, tanto que comecei a me perguntar se eu, em algum momento, soube quem fui.

Eu não quero dar detalhes do plot pois por ser um livro que os fãs estavam esperando qualquer spoiler vai tirar a principal surpresa da obra. Espero que ninguém fique com raiva dos personagens durante a leitura do livro, hehe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por comentar. Volte sempre. <3